teatro de rua, palhaços, animações de aniversários infantis, montagem de espetáculos, oficinas, assessoria cultural, palestras, produção de eventos e muito mais.

25 de agosto de 2008

Esporte

O coordenador da Cia. Ciranduís Josivam Rhuaan, vem desenvolvendo o trabalho esportivo com a Ciranduís em grande estilo. A entidade participa do III Campeonato Municipal de Mini-campo promovido pelo município e sempre realiza jogos amistosos.
Ciranduis Esporte Clube - CEC
No último sábado a Ciranduís realizou um amistoso de Futsal com a equipe da Auto Escola de Campo Grande, às 16h, no Módulo Esportivo em Janduís, vencendo por um placar de 10 a 08.
Auto Espote Clube
Rhuaan, se diz muito satisfeito em estar realizando trabalhos na área de esporte com a Ciranduís. Ele que já foi campeão e vice da Copa Oeste pela Seleção de Janduís entre 1992 e 1993, participou de amistoso contra o Flamengo em Antonio Martins/RN e é professor de Educação Física da Escola Aluízio Gurgel em Janduís/RN.

Oficinas

A Cia. Ciranduís através de seu membro Lindemberg Bezerra, está ministrando trabalho de oficina em duas cidades potiguares, desde maio deste ano. A primeira cidade a ter o trabalho de iniciação teatral foi Martins/RN, onde teve suas atividades iniciadas em maio e já conta com a formação do grupo Fantasia Real, com apoio da Prefeitura e da Secretaria de Educação daquela cidade e parceria da Casa de Cultura.
Grupo Fantasia Real de Martins/RN
Há um mês, o grupo chegou até Alexandria/RN, na tromba do elefante, onde desenvolve oficinas para jovens e adolescentes dos programas PETI e PROJOVEM. A missão é deixar dois espetáculos de teatro de rua montado com a turma.
Peti e Projovem de Alexandria/RN.
Em Alexandria o trabalho tem o acompanhamento da Assistente Social Leninha Sarmento, da Coordenadora Margarida e das professoras Fabiana e Débora.

Paralisações

A Ciranduís de Janduís encontra-se hoje com 75% de sues trabalhos parados, em virtude do momento político e pela reestruturação de novos membros. Isso porque, alguns membros tomaram rumos diferentes onde muitos estão trabalhando, e tem até membros dedicados a formação de novos grupos, o que é bom para o município e para formação pessoal e profissional do membro.

Espetáculos como O Fuxiqueiro, A Tua Ação, Idéia de Rosica, O Tabagismo, Atenção, Carbono para Planejamento, dublagens, palhaços estão todos sem ensaiar e sem ter nenhuma iniciativa pelos atores. Estando em cena, apenas os trabalhos de oficinas nas cidades vizinhas, esporte, recreação e o Espetáculo A Loja de Chapéus.

Enquanto a direção analisa o quadro em que o grupo se encontra novos projetos são encaminhados e novas pessoas estão sendo convidadas a participarem dos trabalhos de arte com a Cia. Ciranduís.

Capacitação

O membro da Companhia Cultural Ciranduís, César Santos, juntamente com a Educadora de Saúde de Janduís, Damiana Félix, participaram de uma capacitação sobre comunicação entre os dias 18, 19 e 20 de agosto, no Centro de Convenções de Ponta Negra, em Natal.
César Santos, atuando no espetáculo "IDÉIA DE ROSICA"
A capacitação foi proporcionada pela Articulação Nacional de Educação Popular em Saúde do Rio Grande do Norte – ANEPS/RN, a qual os membros citados são integrantes por suas respectivas entidades.

Para César Santos, o curso foi de grande proporcionalidade, já que comunicação hoje, está dentro de suas metas de trabalho na Cia. Ciranduís.

A Ciranduís é uma entidade que faz parte da Articulação e vêm participando dos debates e encontros realizados. O grupo foi convidado para o encontro Nacional que aconteceu em Fortaleza-CE, entre 30 de julho e 05 de agosto. Acabou não mandando representante, mas, seu espaço dentro da ANEPS está assegurado.

20 de agosto de 2008

O papel do vereador

Cabe ao vereador, mostrar os problemas da comunidade e buscar providências junto aos órgãos competentes. Mas não é só isso. Cabe-lhe também a função de fiscalizar as contas do Poder Executivo Municipal e do próprio Legislativo.

Um dos pré-requisitos básicos da democracia é a existência de um Poder Legislativo forte e realmente independente. Sem isso, a democracia é deficiente, capenga. No Brasil, apesar das leis falarem claramente em “poderes independentes e harmônicos entre si”, ainda falta muito para que isso vire realidade.

Lamentavelmente, as contradições começam a nível nacional e estadual, quando temos parlamentares, em sua maioria, subserviente e fiéis aos interesses políticos e econômicos do Executivo.

Em especial nas Câmaras Municipais, é vergonhoso. Prefeitos detêm a maioria dos vereadores os quais mantêm com um “empreguinho” para a esposa, um benefício aqui, outro ali... e assim, o edil fica cada vez mais distante do verdadeiro papel do vereador, passando a ser apenas mais um encabrestado, boneco de marionete.

Cabe à população esclarecida, exercer bem o seu direito de escolha, quando chamada às urnas para indicar sua representação. É muito comum ouvir: “vereador não serve para nada”. Cabe ao vereador, expor os problemas da comunidade e buscar providências junto aos órgãos competentes. Portanto, o vereador é o fiscal do dinheiro público.

E aqui fica a pergunta: será que o vereador que presta apoio político incondicional ao Prefeito em troca de “benefícios” pessoais, exercerá livremente a função de fiscalizá-lo? Não. E é isso que acontece na maioria das cidades brasileiras. Isso precisa ser mudado.Vereador deve ser independente, atuante, polêmico, e deve sempre ter a coragem de concordar com o que considerar certo e discordar do que considerar que esteja errado. Deve agir com conhecimento e desarmado de ódios ou rancores.

É isso que a população deve observar e cobrar de seus representantes. Aliás, a população precisa freqüentar as reuniões dos Legislativos Municipais, para saber como estão se comportando os “representantes do povo”.

Também é válido lembrar que pela estrutura social brasileira, ao vereador é sempre cobrada a função de assistente social. Isso vem de longe. São os costumes “coronelísticos” que persistem, como herança política da República Velha.

Infelizmente, devido à realidade de pobreza da maioria dos nossos municípios, ainda se pensa assim, o que torna desfigurada a ação política. Essa mentalidade tanto compromete o eleitor, vítima maior, por falta de educação política, quanto ao vereador, que não dispondo de condições materiais para solucionar os problemas acaba se desesperando politicamente. Mas, tanto no caso do eleitor como do vereador, predomina-se a escassez de educação política.

Precisamos de vereadores atuantes, dispostos a romperem com os costumes persistentes de subserviência e vício. O vereador deve agir sem apego a benefícios pecuniários. Ele deve usar, com disposição, a prerrogativa de denunciar possíveis fraudes envolvendo dinheiro público, sobretudo pela tendência descentralizadora existente, pois recursos estão indo direto para as mãos dos Prefeitos, como é o caso do Ensino Fundamental.

Vereador consciente contribui efetivamente para o desenvolvimento humano do seu município, ajudando o povo a pensar e se organizar.

Anos de luta

Os artistas que fazem o Movimento Cultural de Janduís, desde a década de 80 que lutam pra conseguir mudar a rotina diária da cidade. Buscam ser cidadão de bem, conscientes de seu comprometimento social. Desejo ocorrido em todas as àreas da cultura: artes cênicas, música, grupos de jovens, grêmios, associações, esporte, enfim, por todos os cantos da cidade temos gente querendo fazer acontecer, há mais de 20 anos.

Muitos tem caminhos bem sucedidos. Outros preferem a babaquice e a triste ilusão pelo capitalismo. Temos recuperado muitos jovens, assim como, temos perdido também. Artistas que não estudaram e mergulharam no mar da ignorância, que não se libertam do favor político, tem seguido rumos àrduos nos trilhos da alegria. E outros buscando sempre o estudo, a discussão, vendo sua capacidade sem se sentir inferior aos políticos "camarões", e com isso participando de projetos comunitários com sucesso.

Há muito tempo que a classe artística almejava o Conselho Municipal de Cultura. Tivemos o projeto aprovado por 9 a 0 em dezembro de 2007. Dali pra frente acreditavámos que a Fundação de Cultura não seria problema, porque os "representantes" do povo iriam aprovar numa boa.

Só que entrou em cena o desespero político da oposição. Uma tentativa de se acharem os melhores... O reis da cocada preta por serem maioria na Câmara Municipal... E isso resultou na reprovação da Fundação de Cultura, depois de terem uma decisão articulada com os que se dizem liderança políticas da cidade.

Com isso ficou e fica claro a falta de controle psicologico e emocional dos conspiradores. Quem vota contra uma Fundação de Cultura, amanhã vota contra o calçamento, a habitação, a educação, a agricultura, as reformas patrimoniais e os projetos que serão em benefício da população. Se a questão é contra o Chefe do Executivo todo e qualquer projeto será vetado..

Pensem nisso. Quatro anos é muita coisa pra esperar pra dar uma resposta. A hora é agora. Analisemos as melhores propostas e vamos dar um rumo responsável a Janduís.

Lindemberg Bezerra - Ator e Diretor Teatral da Cia. Ciranduís.

5 meses sem a Fundação de Cultura

Os verdadeiros artistas de Janduís, lembraram com tristeza os cinco meses sem a Fundação de Cultura da cidade, completados dia 18 de agosto de 2008. O projeto de lei deu entrada na Câmara Municipal dia 18 de março, e foi reprovado pelos "representantes" do povo.

Dos nove vereadores votaram a favor: Braga (PT), Gaspar (PT), Alvaní (PSB) e Nenem Raul (PPS); os demais votaram contra, por "enterem" que seria um projeto político eleitoreiro do prefeito. Pela má interpretação, e por não saberem se que como se formulam uma lei, os opositores das crianças, dos joves e da classe artistística acabaram prejudicando uma classe inteira.


Os artistas, que na atualidade, formam o maior bloco de discussão já visto na cidade, lembra com tristeza a atitude desrespeitosa a um movimento que faz cultura desde a década de 80... Um movimento que está lutando pelo coletivo, pela igualdade cultural e por mais qualidade de vida na àrea de artes em geral da cidade e região.

Tivemos uma minoria de artistas contra a Fundação de Cultura, o que é nomal dentro dos parâmetros democráticos. Afinal de contas, cada um dá o que tem. Artista nenhum vai oferecer leite, se o que tem a oferecer são apenas pedras. Mas, mesmo assim, a sociedade sabe o valor da classe artística e quem são os verdadeiros batalhadores pela coletividade da cultura de Janduís.

A classe artistica de Janduís está muito consciente sobre sua função no município e sobre a atitude a ser tomada no momento em que podemos dar a resposta mais positiva àqueles lobos disfarçados de cordeiros. Chinelo em todos que votaram contra fundação e naqueles que foram e são contra o projeto até os dias atuais.

Dadá - Dois meses de saudade

O guerreiro partiu deixando saudades, deixando lembranças, alegrias tristeza e a dor da despedida. Uma despedida eterna, que talvez nos encontremos juntos de Deus, ou só mesmo através de nossos sonhos noturnos.

Ainda temos as fotografias e as imagens gravadas em nossas cabeças dos gestos alegres de Dadá... Das largas risadas e de seu jeito feliz de viver a vida.

O canto da capoeira... O Ginga Faceira sem Dadá... A capoeira sem Dadá... Nós sem artistas Dadá... A cultura de Janduís ainda chora caladinha à viajem do maior mestre de capoeira de Janduís, do Movimento Escambo e das terras potiguares.

A data 14 de agosto, nos fez relembrar os dois meses sem o mestre Dadá... Que ele descanse em paz junto de Deus...

Lindemberg Bezerra - Ator e diretor teatral da Cia. Ciranduís.

14 de agosto de 2008

Governo Lula lança edital de Pontos de Cultura no RN

O Edital dos Pontos de Cultura do Rio Grande do Norte foi lançado na última quarta feira,13/08, publicado no Diário Oficial da União.
Os Pontos de Cultura são iniciativas desenvolvidas pela sociedade civil que, após seleção por edital público, firmam convênio com a Secretaria de Cultura do Estado do Rio Grande do Norte e o Ministério da Cultura, e tornam-se responsáveis por articular e impulsionar ações que já existem nas comunidades.
O Ponto de Cultura não tem modelo único de instalações físicas, de programação ou atividade, é uma iniciativa que impulsiona a realização de ações envolvendo Arte e Educação, Cidadania com Cultura e Cultura com Economia Solidária
Fonte: Assessoria do Mandato do Deputado Fernando Mineiro PT/RN.
www.mineiropt.com.br

GRUPO DE TEATRO FANTASIA REAL- MARTINS/RN

Em maio de 2008, uma grande oportunidade foi lançada na cidade de Martins. A formação de um Grupo Teatral, o convite foi feito nas escolas, mas poucos se interessaram.

Grupo Fantasia Real de Martins/RN
O começo não foi fácil, começou com apenas 6 iniciantes, e o grupo que estava ali prestes a se formar, foi continuando seu trabalho, e foi aumentando o número de iniciantes.


As oficinas foram melhorando, até que chega o esperado dia de apresentar um texto escrito pelos próprios atores, O Dever de Casa. Com a apresentação do Texto, o grupo foi aumentando o número de participantes, e estimulou a cultura na cidade. Foram feitos muitos convites para apresentações em escolas.


Com o aperfeiçoamento do teatro, um novo texto foi apresentado, o Lixo em verso e Prosa. Desta vez a Emoção foi maior, nunca tínhamos apresentado em praça pública, foi quando chegou o convite para apresentarmos em um dos maiores eventos do Rio Grande do Norte, O festival Gastronômico e Cultural de Martins.


O texto foi apresentado, e ensinou muito aos curiosos que ali prestavam atenção na nossa apresentação. O grupo Continuou, e hoje conta com mais ou menos 18 participantes, e continua seu trabalho, e Agradecemos muito, ao nosso querido facilitador Lindemberg Bezerra. Obrigado Por tudo!

Grupo de Teatro Fantasia Real
Martins-RN, 14 de Agosto de 2008.


Escrito por Antonio Neto, membro do grupo

Oficinas

A Cia. Ciranduís continua com o trabalho de multiplicação cultural em cidades potiguar com oficinas de teatro rua, através do facilitador Lindemberg Bezerra.

Todas as terças e quartas-feiras o trabalho é realizado na cidade de Martins/RN, com o grupo já formado, o Fantasia Real, e nas sextas-feiras, é na cidade de Alexandria/RN, com jovens do PETI e PROJOVEM.

Andamento

Durante esse tempo sem postar notícias a Companhia Ciranduís apenas realizou trabalhos rotineiros como reuniões preparativas com seus membros, discussões de novos espetáculos, reformulação do espetáculo O FUXIQUEIRO, realização do Recordes Culturais e encaminhamentos normativos.
O Fuxiqueiro, em Caicó
O grupo não conseguiu ainda fazer a avaliação de I Semestre de 2008 e elaborar o calendário de 2009. Principalmente agora, nesse período de Eleições e de muitos de nossos membros ocupados em trabalhos.

É pensamento de o grupo buscar novas pessoas para ocuparem espaços deixados por membros sem tempo. Aos poucos, estamos estudando novas possibilidades de trabalho e com cautela.

Em off

Caros leitores,

Nosso blog passou uns dias sem atualizações por problemas com a internet e também com muito trabalho pelo nosso alimentador de reportagens...

Estamos de volta e não esqueça sempre de dar uma passadinha nas nossas notícias.